Quem é Carmen Guerreiro

O AnsiaMente nasceu como uma forma de uma menina de 26 anos expor o nervosismo que bate quando nos tornamos adultos. Esse é um momento em que você amadurece e aprende muita coisa – profissional, do dia a dia, de relacionamentos… – ao mesmo tempo em que começa a rever os antigos aprendizados. Simultaneamente, entrar no 20 significa que a maior parte das pessoas não vai mais pegar na sua mão e te ensinar como fazer as coisas, filtrar o mundo para você ou passar a mão na sua cabeça.

O blog foi, em princípio, uma forma de expor meus próprios questionamentos como jovem adulta tentando entender o mundo em que vive. Pensei que talvez outras pessoas compartilhassem dos mesmos questionamentos, ou mesmo nunca tivessem se colocado aquele questionamento antes, mas o fariam a partir da leitura do texto. Para mim, é reconfortante saber que outras pessoas perdidas nesse mundão estão se perguntando as mesmas coisas que permeiam meus pensamentos.

Mas um dos aprendizados que tive ao longo desses 4 anos de blog foi que questionar significa também mudar de ideia sobre algumas coisas. Mudando, afinal, não buscamos melhorar? Quando entendi isso, pensei em acabar com o blog. Depois pensei em tirar os posts que não refletiam mais minha opinião, porque podem ser compartilhados hoje com uma posição que não necessariamente é fiel ao que penso hoje. Enfim decidi deixar tudo aí, como um registro das minhas transformações.

Decidi me deixar mudar, porque se o propósito do AnsiaMente é estimular questionamentos, seria estranho se eu não me questionasse constantemente e me reposicionasse a partir disso.

Tendo dito tudo isso, a essência do blog continua, por isso parte da sua definição antiga (o texto que estava nesta página antes) permanece:

Vivemos em um mundo automatizado. Até aquilo que pensamos muitas vezes é automático, e expressamos opiniões enfáticas sem sequer nos questionar se aquilo faz mesmo sentido ou não. Ou se sabemos o suficiente sobre aquele assunto para nos posicionar com tanta ênfase (e agressividade). Se ao fim de cada texto eu tiver conseguido fazer com que uma pessoa pare para pensar sobre um ponto de vista nunca antes explorado, ou questione uma convenção social, ficarei feliz.

Não quero estipular verdades, apenas estimular reflexões. Minha causa? Não é a paz mundial. É o bom senso universal – mais utópico ainda.

  • Para entrar em contato, clique aqui
  • Para repostar um texto do AnsiaMente, as regras são: não altere o texto, cite o nome da autora (Carmen Guerreiro) e coloque um link para o post original. 😉
  • Entenda a política de comentários
Mais sobre mim: sou jornalista, tenho 30 anos, sou paulistana e casada. Sou bastante curiosa, pragmática e um tanto ansiosa. Às vezes acho que sou otimista, às vezes pessimista. Adoro escrever, flanar pela cidade, viajar, fotografar, aprender, conversar, contar e ouvir histórias, ir ao cinema, estar conectada, ouvir música, cuidar de animais e plantas, dançar, descobrir particularidades de diferentes culturas, línguas e lugares – e mais um montão de coisas. Meu site profissional: www.carmenguerreiro.com